Mídia
Juiz defende aula de cidadania na escola
A TRIBUNA Vitória, ES, DOMINGO, 15 DE MAIO DE 2011    A educação é um dos principais pilares destacados quando o objetivo é alcançar a ética na política. ''Só com educação é possível formar cidadãos conscientes, capazes de eleger corretamente as pessoasque os representarão com retidão e compromisso'', afirmou o juiz eleitoral Marcelo Abelha. Então, por que não incluir ética na grade curricular das instituições de ensino? É o que ele questiona. E como resposta, sugere aulas de cidadania e ética nas escolas. ''Os direitos fundamentais e políticos deveriam ser ensinados nas escolas, como se ensina Matenática, Português e Ciência nos ensinos fundamental e médiio. Tdos deveriam saber de cor até mesmo para ter embasamento na hora de reivindicá-los'', pontuou. O assunto será objeto de discussão, ainda este ano, em 72 instituições da rede pública estadual da Grande Vitória. Os próprios alunos vão elaborar práticas educativas que visam á moralização da política. A ação faz parte da campanha do Ministério Público: ''O que você tem a ver com a corrupção?''. ''Precisamos entender que a ética é um exercício diário desde os pequenos atos do cotidiano, que muitas vezes são vistos como normais e corriqueiros, mas que na verdade também se tratam de corrupção'', ressaltou o procurador geral da Justiça, Fernando Zardini. Entre os exemplos, ele cita a não devolução do troco, a aquisição de produtos piratas, o desrespeito nas filas. Ainda acrescentou que: '' Os próprios programas fazem com que a gente se policie mais, até mesmo para dar o exemplo.'' O procurador também destacou que o caminho para acabar com a falta de ética na política é a comunicação. ''É através da informação e do conhecimento que o eleitor passará a ter mais critério para escolher os representantes do povo'', afirmou.

Voltar ao índice